Arquivo | Trends RSS feed for this section

Gen Z yellow

12 abr

A cor que passou tanto tempo em destaque, o millennial pink, começa a dar sinais de cansaço e abre espaço para uma nova que promete marcar a próxima geração: é a generation Z yellow, ou simplesmente Gen Z yellow, o amarelo da geração Z.

yellow

@candela____

yellow collage

@collagevintage

yellow hellogenz-bookproduct

Capa do livro de Claire Madden

Para quem não sabe, a geração Z é a que vem na sequência da geração Y (ou millennial) e compreende os jovens nascidos entre os anos de 1990 e 2010.

Identificados com essa cor solar, vibrante e polêmica – sim, o amarelo é o tipo de cor que não tem meio termo: ou é querida ou odiada – a nova geração traz com o frescor do amarelo um contraponto ao nostálgico rosa associado aos millennials. É a cor “cheguei” por excelência.

O amarelo é ainda a cor de gênero neutro (a primeira na qual pensamos ao comprar roupinhas de bebê que ainda não sabemos o sexo). E a neutralidade dos gêneros é uma das características dos Z.

seventeen

Páginas da revista Seventeen de março/abril de 2018

yellow gigi

@gigihadid

yellow rihanna

Rihanna no lançamento da sua marca de cosméticos, a Fenty Beauty, em setembro do ano passado.

É também a cor base dos emojis, uma das formas de expressão e comunicação dos jovens Z, que já nasceram inseridos na cultura digital.

yellow emoji

@creative_yari

Assim como o millenninal pink assumia uma grande variação de tons de rosa, o gen Z yellow  vai do amarelo vibrante ao mostarda, passando dos tons frios aos mais quentes,  com opções possíveis para todas as tonalidades de pele.

yellow5

Desfile Balmain , desfile Dolce & Gabbana (fotos de desfile Vogue.com), a diretora Greta Gerwig na entrega do Oscar (@nytimesfashion) e @camilacoelho

E se o millenial pink ultrapassou o ano de 2016 e continuou predominante em 2017 (alguém aí se lembra do verde greenery?) será que o Gen Z yellow vai desbancar o ultra violet como cor do ano de 2018? Façam as suas apostas!

Anúncios

Curso de Cool Hunting na Central Saint Martins

5 abr

Um sonho realizado! Fazer o curso de Cool Hunting na Central Saint Martins (Londres), uma das principais escolas de moda do mundo, era algo que eu vinha desejando há algum tempo. E finalmente consegui!

O curso tem duração de uma semana, de segunda a sexta. O meu foi entre os dias 20 e 24 de março. A turma era enxuta, bastante interessante e coesa. Éramos 4 brasileiras, 3 italianas, uma americana e uma holandesa. A maioria delas era formada em moda, e algumas estavam morando em Londres.

Nossa professora foi Daniela Bomba, graduada em moda na própria Central Saint Martins e que trabalha como stylist e pesquisadora de tendências. Ela é inglesa mas os pais são italianos, daí do sobrenome. Daniela é bastante comunicativa e sempre estimulava a interação da turma com a troca de informações e impressões sobre as visitas que fazíamos no dia anterior.

Nosso roteiro de aulas era basicamente assim: a gente tinha aula de manhã, onde eram transmitidos conceitos e a parte mais teórica, almoçávamos pela escola (o restaurante da escola tem um ótimo preço e opções interessantes) e depois íamos visitar alguns lugares, que poderiam ser museus, galerias, lojas, mercados ou bairros que concentravam uma boa dose disso tudo. A gente recebia um roteiro e uma atividade para nos guiarmos aonde ir e o que deveríamos observar. No dia seguinte, a aula começava com uma conversa sobre as nossas “descobertas”. No último dia, cada uma fez uma apresentação com o que tinha visto de mais interessante nas visitas e o que tinha captado de novas tendências em suas observações.

Os insights de cada uma nesta apresentação final foram bem bacanas e renderam boas discussões. Algumas questões foram quase unânimes, como a discussão do feminismo. Um dos temas que apresentei “The scaring cute” teve pelo menos umas 4 fotos das mesmas coisas no trabalho que outra colega apresentou com tema similar. Fiquei impressionada!

Enfim, o curso foi uma experiência maravilhosa, gostei demais! Só senti falta de um pouco mais de método e teoria. Talvez porque eu tenha feito o curso com Dario Caldas, do Observatório de Sinais, “Metodologia de pesquisa e análise de tendências”. Dario segue o método de pesquisa que ele desenvolveu e seu trabalho tem forte fundamentação na sociologia e antropologia. Acho que por isso senti falta de uma metodologia mais consistente. De toda forma, acho que um curso acabou complementando o outro.

Pequeno parênteses: o curso do ODES eu fiz em janeiro do ano passado (2016). Este ano eles realizaram a última turma aberta dele, que agora só será ministrado em grupos para empresas que tiverem interesse em treinar sua equipe para a pesquisa de tendências. Só foram dois dias, mas o conteúdo foi bastante rico. Quem tem interesse no assunto, aconselho seguir o ODES Blog, eles sempre publicam alguns de seus estudos por lá.

dicas5

Abaixo seguem algumas fotos tiradas durante a viagem. Divirtam-se!

IMG_6323.JPG

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

IMG_7436.JPG

Cool Hunting CSM 2017 <3

Safari urbano

30 nov

Esta semana estive em São Paulo e tive a oportunidade de participar das palestras Os Paradigmas do Futuro, com Francesco Morace e Sabina Deweik do Future Concept Lab (empresa que trabalha com pesquisa de tendências e consultoria estratégica), e As Novas Fronteiras de Comunicação, com Drausio Gragnani da agência que leva seu sobrenome. As palestras, ótimas e enriquecedoras, faziam parte dado 10º Ciclo Multicultural promovido pelo Centro de Cultura Judaica. O evento era gratuito e tinha ainda na programação oficinas e debates.

Também dentro das atividades do evento, participei do safari urbano com Sabina Deweik. A proposta é começar a treinar o olhar como um exercício de cool hunting, captando os sinais que apontam para as próximas tendências. Sabina usa esta mesma atividade no seu curso de cool hunting na Escola São Paulo. Foi algo mais sintático mas, mesmo assim, foi uma atividade super interessante e uma ótima oportunidade de conhecer gente bacana e trocar figurinhas.

Seguem alguns cliques da minha caçada. Que fique claro que não quero dizer que os que vocês estão vendo nas fotos são futuras tendências! Só estou compartilhando algumas imagens que resultaram desta atividade.

IMG_1144

 

IMG_1207

 

IMG_1186

 

 

IMG_1143

 

juarez

 

IMG_1250

 

IMG_1234

 

IMG_1129

 

IMG_1268

 

IMG_1210

 

IMG_1272

 

clutch

 

PS: ameeeeeeeeeei essa clutch em forma de revista da Kate Spade!

 

Fashion pets

21 nov

Os bichinhos de estimação estão em alta no mundo fashion. Viraram praticamente o it-acessório dos fashionistas, aparecendo com certa constância nas fotos de street style e sendo coadjuvantes de famosas blogueiras de moda. É o caso da cachorrinha Matilda da blogueira Chiara (The Blonde Salad) e dos pinschers Tim e Melaine de Jane (Sea of Shoes). Mas a maior celebridade é a gatinha do estilista Karl Lagerfeld, Choupette. Com pouco mais de um ano, ela já estrelou fotos na I-D, Harper’s Bazaar e V Magazine. Seus olhinhos azuis ainda inspiraram uma coleção da Chanel.

Ufa! Ufa nada, aguenta que tem mais! Choupette e Matilda possuem o seu próprio twitter.

Salto grosso

20 nov

Tenho observado algumas marcas de sapato apostando nas sandálias de salto grosso e estou amando a novidade! Traz mais conforto e segurança ao andar e deixa a sandália com uma cara poderosa, imponente, não acham? Separei alguns modelos lindos que vi no site da Luiza Barcelos e da Schutz. E, como o natal tá chegando, marquei aqueles que fizeram meus olhinhos brilharem ainda mais (esse truque de mostrar aqui já funcionou antes! hahahaha).

Shortinhos do verão

14 nov

Verão sempre combina com short, e nesta estação ele será uma das estrelas do nosso figurino de sol. E, apesar de virem em tamanho mini, eles estão cheios de cor, estampa e qualquer outra coisa que chame a atenção.  Reuni aqui 3 estilos que vão marcar o verão 2013.

As estampas em estilo étnico persistem há algumas temporadas, cheias de cores e grafismos. Para quem não tem medo de ousar vale brincar com a mistura de estampa no top. Ou pelo menos deixar o visual mais rico com um top com textura.

Tie-dye, dip-dye ou tudo junto e misturado, o rainbow shorts, ou short arco-íris. Esse promete ser uma paixão de verão, aquele bem-querer intenso que não chega ao inverno. Isto é, nem invista caro. Compre um baratinho ou transforme você mesma um shortinho velho que você já tem. Na net tem mil e um tutoriais ensinando a fazer, como este aqui. (Tá vendo o primeiro ali da montagem, comprei no camelô. #confissões)

Os shorts com bordados e pedrarias são os mais rycos, em todos os sentidos. Perfeitos para cair na balada, fazem par perfeito com uma camisa levinha. Os dois primeiros são da Anamac e já foram usados por Cláudia Leitte no programa The Voice Brasil (#sucesso). O terceiro, da PatBo, também tem uma pegada étnica e me lembra muuuuito uma saia da marca australiana Sass and Bide do verão passado (a mesma coleção do primeiro shortinho da montagem dos étnicos). Olhem a foto e me digam se também acham.

Tênis em alta

27 jul

Esqueça os tênis de salto embutido (amém!). Com a influência do estilo esportivo desencadeado pelo período das Olimpíadas e também pela onda de conforto pela qual a moda passa, a escolha dos fashionistas é o tênis, com foco nos tênis de corrida. Para homens e mulheres, o legal desta tendência é o contraste provocado por roupas sociais usadas com o calçado esportivo. O estilo foi visto em alguns desfiles, principalmente masculinos, além de já aparecer com certa frequência nas fotos de street style.


E aí, vai aderir?
%d blogueiros gostam disto: